A Bahia chora pela tragédia na Baía de Todos os Santos

Eu ando bastante nessas barquinhas que fazem a travessia Salvador x Mar Grande. É bem melhor utilizá-las que o ferry-boat? Com certeza, sim. A travessia é mais rápida, a oferta de horários é maior (quando enche, ela já sai), a operação de atracamento é muito mais ágil e dinâmica que o ferry, sem falar da localização mais central do Terminal Náutico da Bahia em Salvador. Por isso tanta gente que utiliza com frequência esse transporte público a escolhe.

Na prática, como é essa travessia: as lanchas, quase sempre, saem cheias, principalmente em finais de semana e feriados, mas é preciso registrar que poucas pessoas vão em pé. Às vezes, se apertar daria para sentar todo mundo, outras vezes, não. Mas repito: é algo raro irem pessoas em pé na lancha, o que denota que não é comum ela sair acima da capacidade de passageiros.

Já fiquei mais de três horas, no sol, esperando a maré subir para atravessar? Já. Já passei mais de quatro horas na fila no final do ano? Já. Já passei perrengues nessa travessia? Sim. Um dia, achei mesmo que ela iria virar. Apesar de não ser mar aberto, a Baía de Todos os Santos fica alta e, muitas vezes, revolta. Isso é uma constante. E ainda tem a questão dos ventos, que parece ter sido determinante no acidente de ontem.

Não acho que o serviço oferecido é totalmente ruim. Não lembro de outro acidente com vítimas já ter ocorrido.

O que eu acho que precisa melhorar é a disponibilidade e facilidade no acesso aos coletes salva-vidas; amadoramente, eu já havia feito essa conta e tudo leva a crer que não tem coletes pra todos ou devem estar em lugares não visíveis. A vida útil das embarcações, salvo engano, a Cavalo Marinho I era uma das mais antigas (lado esquerdo da foto). Em dias de chuva e mar alto, fechar de imediato a embarcação porque molha mesmo dentro e parece ter sido o maior determinante no acidente de hoje; além do isolamento do compartimento inferior, que pelo que se soube vítimas estariam nessa parte, o que, supostamente, dificultou a salvação deles.

Que Deus conforte as famílias das vítimas e que a segurança de todos nós seja sempre um porto seguro! Que tragédia! Que tristeza!

Vem ponte!

Gostou? Compartilhe!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 1 =

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − dezenove =