Casa do Carnaval da Bahia, Casa do Carnaval

Casa do Carnaval da Bahia: Por dentro da casa que é uma declaração de amor ano nosso carnaval!

A Casa do Carnaval da Bahia fecha uma lacuna entre Salvador e a sua festa maior. E já não era sem tempo. A Casa do Carnaval, além de cuidar de vários aspectos da dimensão simbólico-cultural do Carnaval da Bahia – sua memória, artes, invenções, personagens, inovações e diversidade de manifestações, e, ainda mais importante, amplia as opções de fruição cultural que uma cidade do porte de Salvador necessita e merece.

Casa do Carnaval da Bahia

Uma casa (museu!) dedicado a contar a história do extraordinário Carnaval da Bahia, dedica-se também a falar, sobretudo, sobre nós, baianos. Afinal, quem faz esse carnaval? Ao adentrar a Casa do Carnaval, os sentimentos são de euforia, nostalgia, como também de muito reconhecimento e pertencimento.

Casa do Carnaval da Bahia, Casa do Carnaval

Na longa, linda e emocionante trajetória desse carnaval, nada ficou de fora na Casa do Carnaval da Bahia. Os clubes e sociedades carnavalescas dos primeiros carnavais, os afoxés, blocos, cordões, batucadas, blocos afro e o trio elétrico. Sua gigante dimensão musical. Tudo é retratado num espaço fascinante, repleto de música, dança, beleza e fantasia. Não tinha como ser melhor!

Casa do Carnaval da Bahia, Casa do Carnaval

Aliando diversão ao conhecimento, a Casa do Carnaval da Bahia conta com Hall de entrada/Biblioteca (que tem livro excelentes!), a Sala Origens do Carnaval, que retrata as origens dos carnaval da Bahia, o carnaval das elites nos salões e nas ruas, Afoxés do sec. XIX, carnaval popular, a celebração do samba (blocos, cordões, batucadas, escolas de samba e blocos de índios), economia, tecnologia e gestão da festa e a famigerada Praça Castro Alves.

Casa do Carnaval da Bahia, Casa do Carnaval

Na Sala Criatividade e Ritmos são retratados o carnaval da Bahia visto pelo mundo, o carnaval afro, as micaretas, o samba e o pagode, os cantores e as cantoras do carnaval da Bahia, a mistura de ritmos, o tambor, a guitarra, os trios elétricos, os blocos de trio e o visual do carnaval da Bahia.

Casa do Carnaval da Bahia, Casa do Carnaval

Figurinos usados por Ivete Sangalo, Daniela Mercury e Margareth Menezes nos carnavais

Há ainda duas Salas de cinema interativo/As danças do carnaval, onde é possível se sentir dentro dessa festa (melhoooor lugar!), Terraço do Samba/Café e uma Sala de Pesquisa Acadêmica sobre o Carnaval.

Casa do Carnaval da Bahia, Casa do Carnaval

Em cada um desses espaços, tudo foi minuciosamente pensado para fazer da visita à Casa do Carnaval da Bahia a melhor possível. Tudo é muito interativo, com muita qualidade e muito muito bonito. Os espaços são recheados de objetos, fugurinos e instrumentos que te arrebatam e te aproximam ainda dessa (nossa) história. E o detalhe bem legal é conhecê-la através das vozes dos seus principais personagens.

Casa do Carnaval da Bahia, Casa do CarnavalCasa do Carnaval da Bahia, Casa do Carnaval

Situada no coração do Centro Histórico de Salvador, para coroar, há um terraço com uma vista incrível para a Baía de Todos os Santos. Muita baianidade em um só lugar. Que emoção, que orgulho! Viva a Bahia!

Casa do Carnaval da Bahia, Casa do Carnaval

Parabéns ao curador Gringo Cardia pelo extraordinário trabalho.

Algumas observações:

– Faltou a língua espanhola nos áudios guias. Recebemos muitos turistas latinos aqui e vai fazer falta.

– Cada tema leva de 10 10 a 15 min, o que faz um total de quase cinco horas de material (é bastante coisa!).

– Falta um nome na porta que identifique melhor local.

– Devido a problemas de direitos autorais, alguns áudios ficam cortados, especialmente nos que tem a voz de Caetano Veloso (uma pena!)?. Mas eles falaram que isso já está sendo providenciado.

– O ingresso inicial custava R$60,00, uma valor, de fato, desarrazoado. Hoje o valor está a R$30,00 e R$15,00. Mas torço por uma promo “baianinha”, onde os moradores de Salvador possam pagar um pouco mais barato.
.
– Funciona de terça a domingo, das 11h às 19h.
.
– Como chegar: Subindo pelo Comércio, só pegar o Plano Inclinado Gonçalves. Chegando pela Praça da Sé, ao lado do prédio da Coelba.
.
Gostou? Compartilhe!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + 10 =

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 4 =