Igreja de São Bento

Igreja de São Bento: Salvador x São Paulo

História da Igreja de São Bento de Salvador

Em 1575, o frei beneditino Pedro de São Bento Ferraz chegou à Salvador com a missão de fundar o Mosteiro e a Igreja de São Bento da Bahia. Ao chegarem à Bahia, em 1582, os monges beneditinos receberam como morada a pequena capela e o terreno. A partir de então, inicia-se a construção de uma igreja maior e do Mosteiro nos moldes beneditinos, conforme a tradição da arquitetura monástica.

As instalações incompletas começaram a ser habitada pelos frades em 1584, sendo ocupadas pelos holandeses em 1624, durante a invasão de Salvador, quando saquearam e destruíram o edifício. O monge arquiteto Frei Macário de São João fez o projeto do novo prédio, em estilo neoclássico, e a Igreja de São Bento foi sendo construída, ao longo dos anos, com a influência das diversas tendências e estilos. As obras iniciadas no século 17 foram concluídas no final do século 19. O altar-mor da igreja primitiva foi transferido para a Igreja de Monte Serrat e um novo altar em mármore foi construído. 

O Mosteiro de São Bento da Bahia foi o primeiro mosteiro beneditino das Américas. Sua história está ligada à história da Bahia. No século 17, serviu de enfermaria durante o período da peste espanhola. No século 18, acolheu os vitimados da Guerra de Canudos. Em 1982, a igreja do Mosteiro foi elevada a condição de Basílica Menor de São Sebastião pelo Papa João Paulo II. Sua biblioteca guarda obras raras e seu acervo sacro é imenso e magnífico.

Seu interior, simples, não tem ouro que estamos acostumados a ver nas outras igrejas de Salvador. Vale a pena conferir a liturgia com canto gregoriano que ocorre todos os dias no mosteiro. Aos domingos, a missa às 10h é toda cantada pelos frades em canto gregoriano e o acompanhamento é feito com um órgão.

História da Igreja de São Bento de São Paulo

A fundação do Mosteiro e da Igreja de São Bento de São Paulo data do fim do século XVI ou mais exatamente, em 1598. Segundo documentação da época, foram concedidas duas Sesmarias pelo Capitão-Mor Jorge Correia, as quais seriam a base da fundação beneditina na pequena vila. O terreno cedido a São Bento era o mais bem localizado, abrangendo de um lado o Vale do Anhangabaú e, do outro, a atual 25 de Março.

Igreja de São Bento

Em janeiro de 1650, foi lançada a pedra fundamental para sua construção. A construção atual do mosteiro não é a mesma de séculos anteriores. Trata-se da quarta construção. Em 1910 tem início a nova construção segundo projeto do arquiteto Richard Berndl da cidade de Munique, Alemanha. Quatro anos mais tarde, em 1914, estava completo o conjunto beneditino que conhecemos hoje: a Basílica de Nossa Senhora da Assunção, o Mosteiro e o Colégio de São Bento, marco histórico, cultural e turístico de grande importância para a cidade de São Paulo.

De interior belo, misterioso e imponente, a igreja traz tranquilidade em meio ao caos do Centro de São Paulo. O monastério hospedou o papa Bento XVI durante sua visita ao Brasil, em 2007 e está integrado à Basílica, onde são realizadas missas diariamente. A mais famosa delas acontece aos domingos, às 10h, e é acompanhada por coral de canto gregoriano e pelo som do órgão de 7.000 tubos. Sua padaria, com pães e doces preparados por um grupo de monges é uma grande atração. No último domingo do mês, às 12h, o complexo fica aberto para um farto brunch. 

Gostou? Compartilhe!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *