Lavagem do Bonfim 2019

Lavagem do Bonfim 2019 | Quem tem fé vai a pé mas vá de qualquer jeito

Nossa segundo ano na Lavagem do Bonfim (veja nosso post anterior) e a mesma emoção que só uma manifestação com uma incrível diversidade de raças, sexo, crenças e classes sociais é capaz de produzir. Uma festa na qual qualquer baiano ou turista aproveita em pé de igualdade e com liberdade de escolha do que curtir.

A estrela dessa manifestação religiosa e cultural nunca deixará de ser o sagrado, o emocionante cortejo entre duas das nossas mais famosas igrejas. Mas é preciso reconhecer a contribuição voluntária de cantores de microtrios e nanotrios, carros de som, bicicletas elétricas, pequenas fanfarras e de grupos levemente organizados para a diversidade da festa. E, claro, a participação interativa e genuína do público. Nossa musicalidade misturada à nossa espontaneidade é, e sempre será, uma de nossas melhores marcas.

Falando da parte musical do Bonfim, estamos maravilhosamente fadados a nos emocionar com o axé das antigas, mas a eclética trilha sonora da lavagem esse ano trouxe samba, forró, arrocha, o clássico que a Bahia adotou e chamou de seu “Cuisse Lá” (Wi Pití Pití), marchinhas de carnaval, tecno (fora de contexto mas tudo bem) e o onipresente Edson Gomes, outro fadado a nunca perder a majestade.

Lavagem do Bonfim 2019

Nossas baianas, grandes protagonistas, que despertam fortes emoções, seja pelo figurino, simpatia, flores ou sorrisos, merecem maior destaque pelo papel artístico, cultural e religioso que ocupam na festa.

Lavagem do Bonfim 2019

Em alguns momentos, toda essa beleza e importância se perdem em meio a uma certa descontinuidade (ou descaracterização?) da manifestação que, a cada ano, ganha mais contornos políticos. Contornos esses, bem-vindos, por sinal, desde que sua essência não seja perdida, o que, por ora, também revelam a complexidade, as movimentações e adaptabilidade da cultura de acordo com o tempo presente.

Sobre a logística da festa, a Transalvador ainda não conseguiu organizar o fluxo da volta a contento. Sem táxi, ônibus ou Uber chegando e saindo com fluidez do Largo de Roma, é preciso fazer andando uma boa parte do longo trajeto da volta. Exaustos mas realizados.

Gostou? Compartilhe!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × quatro =

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + 4 =