Salvador e o Mundo, o Mundo e Salvador… Praga!

Da série: SALVADOR e o MUNDO, O MUNDO e SALVADOR – Basta um pouco de atenção para sentir o “nosso mundo” pelo mundo afora.

Não, não temos um castelo similar ao Castelo de Praga em segundo plano, mas temos o imponente Lar Franciscano Santa Izabel em destaque no horizonte. Em contraponto à Igreja Nossa Senhora de Týn, a Catedral Basílica Primacial de Salvador. Numa margem, o Rio Moldava; na outra, a Baía de Todos os Santos. No lugar da vibrante Praça da Cidade Velha, o vibrante, ao seu modo, Largo Terreiro de Jesus.

Salvador

Igreja Basílica de Salvador Baía de Todos os Santos Largo Terreiro de Jesus

Sim, o Pelourinho é a nossa Praga, a capital da República Tcheca. Com as devidas proporções que cabem a essas suaves comparações, temos o nosso Pelourinho tão encantador quanto o bairro da Cidade Velha, em Praga. Um local irregular, que nos convida a passear e a perder-se por suas ruas estreitas e a apreciar sua história, cultura, monumentos principais, prédios espetaculares e… as pessoas.

Pelourinho Pelourinho Pelourinho Hotel Via Bahia

Aqui, as diferenças e particularidades que, naturalmente, nos separam, também nos assemelham.

Se Praga sobreviveu às guerras políticas e religiosas, à ocupação nazista e aos austeros anos do comunismo, nós sobrevivemos à escravidão e a tantas revoltas no período do Brasil Colônia. A arquitetura e o estilo romântico da Art Nouveau ou Art Deco de lá se contrapõem ao nosso estilo eclético, com influências renascentistas, maneiristas, barrocas, neoclássicas e rococós. O Mucha deles é o nosso CarybéFranz Kafka, o nosso Jorge Amado.

Carybé - Bahia Jorge Amado

As emoções das descobertas no Pelourinho ou em Praga são muito próximas, pois cada um, ao seu jeito, possuem suas singularidades e encantos. Praga é mais bela e mais sofisticada? Claro que sim. O Pelourinho é mais informal e caloroso? Absolutamente! Poderíamos atrair metade dos turistas que buscam Praga? Com certeza.

Definitivamente, não são nossos – valiosos, sim! – atrativos culturais que nos distanciam de Praga. O que nos deixam a um oceano de distância deles é o que de mais básico poderíamos oferecer: limpeza e segurança em nosso Centro Histórico, revitalização e manutenção eterna dos nossos casarões e monumentos, um transporte público de massa efetivo, mais bares, cafés, restaurantes, hotéis nas ruas e tudo isso funcionando como um chamariz para muito muito e muito mais gente – baianos e turistas – andando em nossas ruas rua, num clima indescritível como… nas ruas de Praga!

 

Gostou? Compartilhe!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 6 =

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + 17 =