Comunidade Solar do Unhão

Uma tarde na Comunidade Solar do Unhão

Como a gente já havia dado um aperitivo no Instagram, semana passada fomos conhecer o Comunidade Solar do Unhão e o RéRestaurante Dona Suzana. Para quem pensava (assim como nós) que tudo naquela região se chamava Gamboa ou Gamboa de Baixo, há uma clara divisão ali. A parte mais próxima ao Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM) e ao Solar do Unhão, chama-se Comunidade Solar do Unhão e a parte mais acima da Av. Contorno que é a Gamboa propriamente dita.

Comunidade Solar do Unhão

A primeira coisa que muitas pessoas de fora se perguntam é se é perigoso chegar ou andar na comunidade e até mesmo como chegar lá. Bem, para adentrar a comunidade é muito simples. Basta ir como se fosse ao Solar do Unhão e, ao invés de descer a ladeira, seguir reto, à esquerda, que não tem erro. A Comunidade Solar do Unhão e toda a região é famosa por sua particularidade topográfica, por estar localizada “atrás” da Av. Contorno e por ter uma vista espetacular para a Baía de Todos os Santos. De quebra, são vizinhos de Ivete Sangalo. É mole ou quer mais?

Conhecemos a comunidade num sábado à tarde e foi muito tranquilo, sem essa de “olho feio”. Havia pessoas lavando o carro, em pequenas vendas e bares e algumas pessoas de fora andando e conhecendo o local. Com ruelas estreitas, surpreendeu positivamente a tranquilidade e organicidade do local, com todos os lugares interligados por rampas ou escadas e as casas coladas uma nas outras, a maioria de portas e janelas bem abertas, como se fosse uma grande vila, e a sensação era que parecia que você iria entrar a qualquer momento em alguma delas.

Comunidade Solar do Unhão Comunidade Solar do Unhão

Além dos flashes da majestosa Baía de Todos os Santos logo ali pertinho e uma certa tranquilidade no ar, há muita, muita arte espalhada pela Comunidade Solar do Unhão e cada uma mais linda e colorida que a outra, feitas pelo pessoal do Musas – Museu de Street Art de Salvador, que utiliza as casas da comunidade como grandes telas e desenvolve um projeto muito bacana de reunir pessoas de diversas áreas para interagirem com artes visuais, cinema, grafite, colagem, música e iniciativas culturais que possam movimentar a comunidade despertando o interesse dos moradores, em especial das crianças e adolescentes. (Obs: Nós retiramos as fotos dos grafites a pedido do próprio Musas, uma pena!)

Aproveitamos a ida para conhecer o RéRestaurante Dona Suzana, que ficou famoso após algumas aparições na mídia. Suzana é um amor de pessoa, simpática e um pouco gaga, por isso esse nome tão especial do seu restaurante. A simplicidade ali impera em tudo. O prato oferecido é a moqueca do dia, com peixe pescado do mesmo dia ou no dia anterior pelo marido da Dona Suzana. Neste dia estava saindo moqueca de guaricema, que acompanha arroz, feijão fradinho e pirão. Nós gostamos da moqueca mas lá não tem a mesma estrutura/padrão do Boca de Galinha, por ex, é bem mais simples. Não há cardápio e o preço dito a cada uma das mesas. Pagamos R$35,00 para duas pessoas.

Restaurante Dona Suzana Restaurante Dona Suzana Restaurante Dona Suzana

É possível chegar lá descendo andando do Campo Grande (pelo Aflitos) ou do Dois de Julho ou de carro, colocando o carro do estacionamento do MAM ou lá mesmo na comunidade ou até mesmo na Bahia Marina.  Na vez em que fomos optamos por deixar o carro no início da comunidade. O único porém é se o horário for próximo ao Jam no Mam porque pode ficar lotado.

A Comunidade Solar do Unhão tem uma energia boa e vale a pena ser conhecida, independente se você vai ou não ao restaurante. A Salvador Que Sonhamos é que todos esses locais sejam cada vez mais melhor cuidados, seguros, com atrativos e que essa integração seja uma normalidade entre moradores, soteropolitanos e turistas.

Gostou? Compartilhe!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × quatro =