Noite da beleza negra: a noite da suprema beleza

Noite da beleza negra: a noite da suprema beleza

Finalmente chegou nosso dia de conhecer a Noite da Beleza Negra! E tudo começou da melhor maneira possível, subindo a pé a íngreme e icônica Ladeira do Curuzu para chegar à Senzala do Barro Preto, centro cultural do Ilê Aiyê, que além de funcionar como espaço de ensaios tradicionais do bloco, há desenvolvimento de diversos projetos sociais voltados à população negra. A Senzala estava lotada, pessoas concentradas nas ruas, sacadas e janelas. O Curuzu e a Liberdade estavam em festa!

A expectativa era enorme para conhecer a nova Deusa do Ébano, que ocupará o posto de Rainha do Ilê Aiyê em 2019 e que tem a missão de levar ao público todo encanto e consciência que a mulher negra necessita para elevar sua auto-estima e censo crítico. Porém, a noite foi grandiosa e girou também em torno de três grandes homenagens: os 40 anos do concurso, os 45 anos do bloco e os 10 anos sem Mãe Hilda, iyalorixá que deu o nome de batismo e definiu a linha filosófica do Ilê e mãe biológica de Vovô do Ilê e de outros fundadores do bloco.

Noite da beleza negra: a noite da suprema beleza

Com o tema Afrofuturismo, a 40ª Noite da Beleza Negra foi encantadora. Uma noite épica, com lindas mulheres negras adornadas, de belezas marcantes e diversas, do chão ao palco, muita música e a presença maciça de diversas referências negras da cidade. Maíra AzevedoRita Batista, Wanda Chase, Dan Ferreira, Macalé, eram apenas algumas.

Desde a primeira batida de tambor, com a entrada triunfal das candidatas dançando, seus comoventes desfiles individuais ao gran finale, com o anúncio da ganhadora, Daniele Nobre, após oito tentativas, aos shows de Lazzo Matumbi, Daniela Mercury, Gilberto Gil e Caetano Veloso, foi uma sequência de cores, beleza, emoção, afirmações e mensagens que vão muito além do que é dito e visto.

Daniele Nobre – Deusa do Ébano 2019 – Foto: André Frutuôso

Caetano Veloso na Noite da Beleza Negra

Não é à toa que o Ilê Aiyê é o mais belo dos belos. Sua beleza estética é exuberante e esplendorosa, mas ainda mais belo é a sua missão ao sedimentar a autoestima na comunidade negra de Salvador e propagar a cultura afro-baiana para os mais diversos pontos do mundo. Viva o Ilê Aiyê, a pérola negra da Bahia!

Vindo para Salvador ou viajando pelo mundo? Reserve por aqui!
Quando você faz uma reserva por um link do blog, você quase sempre tem desconto, não paga nada a mais por isso e nós ganhamos uma pequena comissão. Essa troca positiva nos ajuda a continuarmos produzindo mais conteúdo de qualidade.
Gostou? Compartilhe!

Deixe um comentário

avatar
  Se inscrever  
Me notificar caso: