Calçadas do Comércio

Precisamos falar sobre o Comércio: Calçadas do Comércio

Em algumas ocasiões já falamos aqui sobre o tesouro precioso que é o bairro do Comércio: uma miscelânea histórico-arquitetônica de influências europeias, misturada a prédios mais modernos, à margem da deslumbrante Baía de Todos os Santos e porta de entrada de Salvador, para quem chega pelo mar. Entretanto, mesmo com essa extraordinária conjuntura em um dos bairros que compõe o Centro Antigo de Salvador, lamentavelmente, problemas mais básicos assolam a região. Muitos casarões prestes a desabar, calçadas (quase) impossíveis de se andar, faltam limpeza, organização dos vendedores ambulantes, mobilidade…

 Calçadas do ComércioCalçadas do Comércio

Desde o nosso último post em fevereiro/2018, houve alguma mudança de lá pra cá? Houve, sim. De forma muito, muito, muito vagarosa, em algumas calçadas foram arrancadas as últimas pedras portuguesas e colocadas tenebrosas placas de cimento grosso. Como o simples ato de andar é o mais básico e quem frequenta a região sabe que isso não é uma coisa simples (por mais absurdo que pareça), tivemos uma pequena melhora em poucas calçadas, mesmo que à custa de um doloroso empobrecimento cultural, histórico e até espiritual.

Calçadas do ComércioCalçadas do ComércioCalçadas do Comércio

Todas as calçadas foram reformadas? De jeito nenhum. A grande maioria continua da mesma forma: destruídas, abandonadas e mesmo algumas que estavam com cimento já estão quebradas também. As que ainda não foram, serão? Difícil saber. Pelo andar da carruagem, se sim, a passos de tartaruga.

 Calçadas do ComércioCalçadas do Comércio

O mais triste é que, além desse acinzamento na região mais linda de Salvador e agressão à nossa história, não se percebe uma ação coordenada, um plano maior em que o intuito seja revitalizar, uniformizar e valorizar a área como um todo, com ordenação dos postes, melhoria dos asfaltos, lamparinas, faixas de pedestres, rampa para cadeirantes…

Calçadas do ComércioCalçadas do Comércio Calçadas do Comércio

E as calçadas de um dos maiores símbolos de Salvador, o Mercado Modelo? Continuam do mesmo estado que as outras, bastante destruídas, mas ainda a maior parte é formada por pedras portuguesas. Atualmente, a parte de trás do Mercado está com tapume e tomara que seja indício de reformas e Deus queira que as pedras portuguesas permaneçam. A calçada em frente ao Elevador Lacerda foi reformada  recentemente e  houve uma mistura de cimento e pedras e isso foi até uma coisa positiva.

Mercado Modelo Mercado ModeloElevador Lacerda

Os casarões continuam do mesmo jeito? Sim. Muitos estão em ruínas e prestes a desabar na cabeça dos transeuntes. Os que não estão nesse estágio, estão completamente tapados com ferros e cimento, uma agressão sem tamanho.

No meio desse cenário que entristece, algum alento e esperança. Está ocorrendo a reforma da famosa Praça da Inglaterra

Praça da Inglaterra Praça da Inglaterra

…E outra coisa maravilhosa que aconteceu e a gente já havia falado aqui foi a reforma da Igreja de São Pedro Gonçalves do Corpo Santo, que fica ao lado do Elevador Lacerda. Primitiva, ficou linda e graciosa demais! Falamos sobre ela nesse post.

E você, alguma vez já andou pelo Comércio?

Vindo para Salvador ou viajando pelo mundo? Reserve por aqui!
Quando você faz uma reserva por um link do blog, você quase sempre tem desconto, não paga nada a mais por isso e nós ganhamos uma pequena comissão. Essa troca positiva nos ajuda a continuarmos produzindo mais conteúdo de qualidade.
Gostou? Compartilhe!

3
Deixe um comentário

avatar
3 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
0 Autores de comentários
Calçadões de cimento x pedra portuguesa | Pensar SalvadorPensar Salvador | Calçadões de cimento x pedra portuguesaPrecisamos falar sobre o Comércio Autores recentes de comentários
  Se inscrever  
o maisnovo mais antigo mais votado
Me notificar caso:
trackback

[…] restringe apenas o abandono dos seus casarões. O atual estado das suas vias também pede socorro. Calçadas destruídas, vias sem asfalto, lixo nas ruas, calçadas altas sem rampas de acesso para cadeirantes e pessoas […]

trackback

[…] para fazermos um post completo. Baianos, nunca se esqueçam: Precisamos, sempre, falar sobre o Comércio e sobre todo o Centro Histórico de […]

trackback

[…] para fazermos um post completo. Baianos, nunca se esqueçam: Precisamos, sempre, falar sobre o Comércio e sobre todo o Centro Histórico de […]