Segundo Sol

Salvador, só você para nos fazer assistir a novelas – Parte 3 | Segundo Sol

Através dos comentários (e troca) nos outros dois posts que fizemos sobre a novela Segundo Sol, ficou claro pra gente que a diversidade e pluralidade da nossa língua, o baianês, é enorme, depende (e transcende) diferenças de idade, classe social, locais (interior da Bahia e capital, por ex) e até de bairros em Salvador.

Neste post, a gente elenca algumas dessas expressões tão familiares, engraçadas e a cara da nossa Bahia que captamos na novela.

Mangueada (básica, tem horas que a Bahia é o próprio mangue)
Quero a minha paga (opa!)
Parta a mil
Já fui Banda Mel (da galera do axé das antigas)
Me despenco (hahaha)
Quebradeira da Bahia
Tirando a barriga da miséria (sempre)
Não venha não (amooo)
Bota esse turbante pra funcionar (kkkk)
Se oriente, se tente
Não aperte minha mente, não
Lá ele (clássica e velhaa)
Chá de se pique (hehehe)
Seja Jó (essa é profunda e bíblica)
Dê seus pulos (é nacional essa?)
Filhote de Lebara (é coisa!)
Na cocó (baianíssima)
De keké (fiquei sabendo por aqui que essa é de alguns bairros)
Meu pão delícia (nova)
Vásimbora (kkkk)
Quizumba de orixá
Delicinha cremosa
Bestage (hahahaha)
Se saia, vá (hinoooo)
Malocar (nunca ouvi)
Enfiando pão delícia na boca (não falamos mas risos)
Dendê saindo pelo nariz (huahua)
Se feche (hino 2)
Falcatruagem (nunca ouvi mas combina muitooo)
O que é que ai? (a cara da minha mãe)
Oh paí vei (básica)
Ratazanas da Baixa do Sapateiros (haha)
Sacizeira toda (só se usa na Bahia isso? Kkk)
Feche sua cara, cale sua boca que eu não tou falando com vc (os baianos numa frase)
Morrer estatelada
Cale sua boquinha, fazendo favor (ui!)
Sapatice (kkk, tive que colocar agora)

Alguém pegou outras expressões?

Gostou? Compartilhe!

Deixe um comentário

avatar
  Se inscrever  
Me notificar caso: